Wednesday, 8 February 2012

'MARIDO DE MULHER BOA' - 1960

If I had to choose a Brazilian musical-comedy that epitomizes all that is good in the genre I think I would pick J.B. Tanko's 'Marido de mulher boa' (Husband of a sexy wife). It's got Zé Trindade, one of the best comedians in the land with a wonderful sidekick in the person of Italian comedian Otelo Zeloni. Beautiful women abound with at least 2 stunning show-girls (Renata Fronzi & Lilian Fernandes) besides Paulete Silva who plays a show-girl in the plot not to mention Isa Rodrigues who started as a child-star and went on to be a show-girl in the early 1950s. 

As to the younger set you've got charming Luely Figueiró at the peak of her beauty who's involved with handsome Celso Faria who would go on and work at the Italian spaghetti western later in the decade. 

As to 'bad men' you had Renato Restier being slapped in the face by Paulete Silva. plus ubiquitous Wilson Grey playing a sinister knife-throwing man. 

And then when it comes to music you gather the best specimen in the land; Sylvia Telles who was arguably the best bossa-nova female singer ever; Lucio Alves, one of the smoothest voices around; Juca Chaves who could be sarcastic and romantic at different times; 

As backdrop to the plot you have a high-society fashion-house owned by Zé Trindade & Zeloni. Most of the action happens on a Hollywood-style curved stairway where beautiful models descend to show their wares... 

The upshot of the plot is to place a womanizer (Ze Trindade) as the boss of a fashion-house where he is in contact with stunning women the whole day. He ends up impotent in the midst of so many women... he can't even satisfy his own wife who stays neglected at home being wooed by Zeloni her former sweetheart. 

Anacleto buys a lottery ticket and divides it in four parts (gasparinos) and give each one to four different women: Sofia, an actress just back from Paris who's Arminda's best friend; Suely, a pretty seamstress who works at the fashion-house; Marlene, a show-girl who's a customer at Pardal & Pardal and the fourth bit goes to Virginia, whose husband is in the knife-throwing business. 

Sofia ends up telling her dear friend Arminda that her husband had given her a fourth of the sweepstake... Soon, Arminda finds out about the other three pieces and their recipients... 

so many women around but Anacleto can't satisfy even his own wife Arminda (Renata Fronzi).
even though it's a high-society fashion-house Zé Trindade makes a speech reminiscent of 1950s Brazilian politicians...
around those staircases is where the action happens... 
beau monde fashion... 
it's a wonderful world at Pardal & Pardal (Trindade & Zeloni's high-fashion house) 
Trindade ponders his chances... 
Anacleto (Ze Trindade) opens the fashion-show with a politician-style speech.
Zeloni does a balancing act...
and is gladly helped out by his staff...

dona Augusta surprises Anacleto in some not dignified position with a dummy... 
Ze Trindade is in  his element in the women's underwear department... 
the first 'gasparino' goes to Sofia (Lilian Fernandes) just back from Paris... 
there goes the second 'gasparino' into Marlene's breast (Paulete Silva).
the 3rd 'gasparino' goes to Virginia (Isa Gonçalves) whose husband (Wilson Grey) deals in knifes... 
Suely (seem here with dona Augusta, her jealous supervisor) has got the 4th 'gasparino'...

'Marido de mulher boa' - 1960 

De uma idéia de J. B. Tanko e Herbert Richers nasceu esse filme rodado em 1960 e lançado em Janeiro de 1961, com direção e roteiro de J. B. Tanko. 

Zé Trindade - Anacléto
Renata Fronzi - Arminda
Otelo Zeloni - Frederico
Renato Restier - Leal 
Luely Figueiró - Suely 
Lilian Fernandes - Sofia
Darcy de Souza - dona Augusta
Celso Faria - Sérgio

Wilson Grey - Tenório
Isa Rodrigues - Virginia
Paulette Silva - Marlene
César Viola - Giovanni
Billy Davis - homem rude
Lys Marques - Mário
Paulo Rodrigues - Luiz

Um estudo interessante sobre satiríase - um homem mulherengo casado com uma mulher considerada 'boa' por todos. Ele, no entanto, não se contenta com uma, mas quer todas as mulheres do mundo...

Sócio de uma casa de alta costura, Anacleto é um galanteador que encanta todas suas clientes e funcionárias. Apesar de casado, ele pouco se importa com a esposa e vive a marcar encontros escondidos com outras mulheres, causando muitas confusões.

Sinópse

Anacleto (Zé Trindade) e Frederico (Zeloni), amigos e sócios na firma Pardal & Pardal, casa de modas de alta-costura, compram um bilhete do 'sweepstake' em sociedade, cedendo à insistência do bilheteiro Giovanni (Cesar Viola).

Anacleto, casado com Arminda (Renata Fronzi), ex-atriz de teatro que o preferiu em detrimento de Frederico. Mesmo Arminda sendo uma mulher 'boazuda', Anacleto continua o sujeito mais mulherengo do mundo e ainda atrapalha as conquistas do sócio solteiro. E é nessa ânsia de querer todas as mulheres, que o nosso herói, não fazendo a mínima fé no bilhete comprado, distribue-o com quatro mulheres, na esperança de conquistá-las.

As prediletas 

A primeira é Suely (Luely Figueiró) uma das costureiras da loja, cujo noivo Sérgio (Celso Faria), cria um caso com seu excessivo ciúme, desmanchando o noivado e desfazendo o sonho da moça.

A segunda é Marlene (Paulette Silva), vedette de um show de boite e ligada à Leal (Renato Restier), malandro, leão-de-chácara e aproveitador de situações fáceis.

A terceira é Virginia (Isa Rodrigues), uma manicure, casada com Tenório (Wilson Grey), ex-atirador de facas, já retirado da profissão, por ter errado o alvo, e presentemente caixeiro-viajante - portanto, sempre ausente de casa.

A quarta é Sofia (Lilian Fernandes) uma atriz, muito amiga de Arminda e antigo romance de Frederico, recém-chegada da Europa, onde esteve durante quatro anos.

Sorte Grande

Para sorte de Frederico e azar do Anacleto, o bilhete é sorteado para 'Royal Pangaré', cavalo azarão, sem possibilidade de vencer. Frederico, ante a possibilidade de riqueza, vai, entusiasmado, dar a notícia a Arminda, sem, no entanto, saber que seu sócio já não tem mais o bilhete, que ele dividiu em 'gasparinos' e entregou às suas 'preferidas'... deixando-o assim em maus lençóis.

Têm início, então, as peripécias de Anacleto, quando, por azar, o cavalo azarão entrou em primeiro lugar e o bilhete é premiado com a sorte grande.

Arminda quer a todo custo ver a metade do bilhete do marido. Desesperado, ele tenta reaver todos os gasparinos premiados, o que dá ensejo aos momentos mais hilariantes do filme.

Renata Fronzi & Zé Trindade play wife & husband...
Anacleto runs around a piece of arse the whole day... at home he reads the paper and ignores his wife...
Arminda (Renata Fronzi), the neglected wife is wooed by Frederico (Zeloni), her former sweetheart.
Sofia (Lilian Fernandes) does her Paris night-club act accompanied by Raul de Barros Orchestra.
gorgeous Lilian Fernandes is disputed by both partners... 
Isa Rodrigues plays Virginia... married to knife-thrower...
Wilson Grey, the knife-thrower really means business... 'Tenório', personagem baseado em Tenório Cavalcanti, político-coronel-cafajeste do Espírito Santo, famoso por andar sempre armado com sua metralhadora, vulgo 'Lourdinha'.
Tenorio surprises Virginia with a Portuguese fellow... 
things get all tangled up when Tenorio returns and finds the 2 men in his wife's flat.
they tell Tenorio they came to fix up the telly... so they had to prove it to him or else...
the wife does what she can to retrieve those 'gasparinos'... 
Marlene gives her man (Renato Restier) the right treatment; dona Augusta (Darcy Souza) is jealous of Suely.
Suely (Luely Figueiró) sings Sergio Ricardo's 'Relógio da saudade'.
Sylvia Telles sings Carlos Lyra's 'Se é tarde me perdoa'.
Lucio Alves waits for Paulete Silva to finish her number and sings 'A vizinha do lado'. 
Juca Chaves sings barefooted and is followed by his audience too... 
Juquinha sings his best song ever 'Por quem sonha Ana Maria?'

musical number on 'Marido de mulher boa' 

'A vizinha do lado' - Lúcio Alves
'Por quem sonha Ana Maria?'  - Juca Chaves
'Kanimambo' - Aracy Costa
'Se é tarde me perdoa' (Carlos Lyra) - Sylvia Telles
'Relógio da saudade' (Sergio Ricardo) - Luely Figueiró

e outros números interpretados por:
Lilian Fernandes  e Zé Trindade acompanhados pela Orquestra de Raul de Barros. 
direção musical: Lirio Panicalli.


 Zé dá um 'gasparino' para Luely, sob o olhar furioso de dona Augusta.

comentários:

Vendo trechos do DVD de 'Marido de mulher boa' se nota como a narrativa é dinâmica e não deixa nada a desejar ao passo corrido comum aos filmes feitos em Hollywood, California. O que os críticos da comédia musical brasileira não atinavam em suas pretenciosas colunas em jornalões colonizados culturalmente, é que o produto nacional tinha adquirido um estilo eficaz que prendia a atenção das multidões que acorriam às salas de cinemas espalhadas pelo continente brasileiro. A comédia-musical nacional, chamada erroneamente de 'chanchada' pela 'inteligentsia' local ('burritze' seria mais apropriado), era consumida pelas massas, algo impensável nos dias de hoje.

Zé Trindade é brilhante em seu tipo maroto-cafajeste, que foi minuciosamente desenvolvido através dos anos em programas radiofônicos, em que Zé era imensamente popular. Zé tinha uma impostação toda própria e consciente de que o discurso é para ser entendido pelo público cinéfilo e ao mesmo tempo não pode deixar a ação diminuir de intensidade.  Trindade tinha a manha do político populista que sabe que tem que agradar ao maior número de eleitores possível, sempre tendo uma tirada filosófica do tipo, 'estou mais por fora que olho de sirí' ou 'estou mais por fora que umbigo de vedette'.

A parte final parece que foi feita sob medida para o talento especial de Luely Figueiró. Nos minutos finais, a 'mocinha' chega bem-vestida à casa-de-modas. Dona Augusta, já pronta para lhe esculhambar, tem que engolir seco quando Suely diz: 'Hoje estou aqui como cliente! E quero ser atendida pela gerente!'

Na cena seguinte Suely aparece vestida de noiva, mas muito triste, vai subindo as escadarias, pensando no amor que perdeu... De-repente aparece Sergio (Celso Faria), segura-a em seus braços e o 'happy ending' já se configura no horizonte.

Suely agradece a Anacleto a chance de poder ter ganhado uma grana com o gasparino. Anacleto quer apenas uma beijoca do brôto, mas nesse momento aparecem Arminda e Sofia, já donas da situação e fazem todas as moças se enfileirarem para beijar [na face] o baixinho arretado. Dona Augusta fica no fim da fila, Zé Trindade olha p'ra câmera e diz p'ra platéia: 'A dona Augusta eu deixo p'ra vocês, tá?' 

Cafajeste até o último instante...  FIM.

Sergio (Celso Faria) gets pissed off when he learns about the 'gasparino' Suely (Luely Figueiró) took as a gift from Anacleto... as Frederico (Zeloni) passes out on the sofa. 
there goes the 'gasparino'... 
later on things are coming to a happy end...
Anacleto tries hard to get a little peck from Suely but is prevented by Frederico...
the bride is taken away by Sergio on a lambretta...

MARIDO DE MULHER BOA (BRASIL, 1960) – de J.B. Tanko. Em seu quinto filme, Zé Trindade está a vontade no papel de um galanteador pitoresco, sócio de uma luxuosa casa de modas junto com Zeloni, que faz muita confusão ao dividir um bilhete do "Sweepstake", que julgava não ser premiado, com quatro moças para tentar uma conquista. Aqui, temos Zé Trindade do jeito que o diabo gosta: cercado de mulheres e batendo um bolão com Zeloni.
cartaz do filme em cinema do Rio.
things are getting rought at Pardal & Pardal - Alta Costura. 
Zeloni aims a punch at Zé Trindade but ends up hitting dona Augusta (Darcy de Souza).
technicians show the extras how to play... 


Billy Davis roughs up Zé Trindade; Otelo Zeloni inter-acts with a mannequin.
Pardal & Pardal taking care of business...
Fashion is our business at Pardal & Pardal...

1 comment:

  1. This comment has been removed by a blog administrator.

    ReplyDelete